Blocos Universais: Tangram vs Nano

Pedro Lark
Gustavo Pizzi
Tradução – 3 min read

Exemplo Nano utx (bloco de enviar)

Embora os blocos universais não sejam tão frequentes nas criptomoedas, não há dúvida que eles possuam uma funcionalidade interessantíssima em seus propósitos. Diferente dos blocos mais comuns, que carregam diferentes partes das transações na blockchain, os blocos universais consolidam todos os tipos de blocos em um só, a fim de aumentar em grande escala a eficiência da rede ao se beneficiarem dessa arquitetura. A Nano, por exemplo, recentemente introduziu blocos universais combinando seus quatro tipos de blocos (open, change, send e receive) e num só, chamado de state_block. Cada state_block da Nano contém, entre outras coisas, atributos de conta, representativo, saldo, link e assinatura. Isso significa que é necessário apenas um bloco para verificar as assinaturas em relação às contas, já que as duas agora estão presentes em um bloco. Além disso, o saldo de uma conta, que anteriormente era transmitido apenas em blocos de envio e precisava de operações complicadas de I / O para procurar, agora pode ser facilmente obtido em cada bloco utx. Introduzindo os blocos universais, os desenvolvedores do Nano deram muitos pontos positivos ao protocolo; eles fizeram com o objetivo de melhorar os protocolos de segurança, simplificar seu código para desenvolvedores e Exchanges, além de aumentar a escalabilidade da rede.

Exemplo Tangram utx (bloco de enviar)

Uma parte da versão Alpha v0.4, Tangram, que está em um desenvolvimento ativo, também introduziu blocos universais. No entanto, pelo facto do principal objetivo no projeto ser a privacidade, a ‘’natureza’’ de seu universal blocks difere substancialmente ao da Nano. Cada bloco possui um atributo account, link, signature, cipher e opcode. Como na Nano, o atributo account do bloco é derivado de sua chave pública (endereço) e a assinatura verifica o bloco. O atributo link que dá contraste a um bloco de envio de um bloco de recebimento, sendo que no bloco de recebimento da Tangram, o atributo link está vazio. Para que haja a privacidade na Tangram, são requeridos os atributos cipher e opcode. A cifra implementa a Sealed Box, que oculta a quantia enviada ou recebida (dependendo da informação no bloco), enquanto o atributo opcode tem a função de dado extra, necessário para a troca de chave Diffie-Hellman, a qual confirma o pagamento. Basicamente, com o opcode, os usuários podem confirmar se o bloco pertence ou não a eles.

Conclusão

O uso de blocos universais adiciona benefícios consideráveis ​​à Tangram. Além de simplificar o código base e torná-lo mais eficiente, a introdução de blocos universais na arquitetura da Tangram também procura definir com maior exclusividade a forma que ela terá como criptomoeda. Os blocos evoluirão de tal forma que não conterão nenhuma referência a transações, mas existirão como transações únicas. A privacidade também exige que os blocos universais tenham uma forma diferente da usual, como a da Nano por exemplo, e dessa forma emprega tecnologias únicas. Durante o Alpha v0.9, será introduzido o protocolo Tangram, onde todas essas tecnologias serão mais expostas.

A Tangram está em constante desenvolvimento e suas versões Alphas estão sendo testadas pela comunidade a cada lançamento. Você pode participar do Discord e fazer parte desse desenvolvimento que vem sendo muito interessante e inovador.

Artigo traduzido de: Kochtrane.

Site Oficial da Tangram: https://tngrm.io

Canal Telegram Tangram Brasil: https://t.me/tangrambrasil